20 de mar de 2010

vazio

E se ao menos o medo,
o velho e conhecido medo sobrevivesse, 
                       
                             talvez eu ainda, 
num fiapo qualquer de mim, 
em resquícios de febre
poderia viver se

(...)



mas embargada cala-se  a tola verve
de sufocantes cinzas vestem-se minhas retinas

E vazio queda-se o horizonte.
E vazia queda-se, triste ánima mia.

Um comentário: