13 de ago de 2010

13

Entre as sombras
Vagam trêmulas e imundas
13 almas moribundas

Escravas de vícios
Em deleites mórbidos
Seus risos espalham
Delicada decomposição

Foram 13 noites
Mortas 13 noivas
Viva carne em açoite
oferenda e devassidão

.....13 covas
.................13 corpos
...........................13 passos

A promessa de um negrume eterno
A concreta presença do inferno
Na noite que o 13 se fez rei
Não haverá mais honra
Não haverá mais lei
Apenas a dor

E nos rastros no chão
O sangue da multidão
e quando 13 luas rubras surgirem no céu
................13 reis dementes reinarão
................13 séculos de escuridão



Tânia Souza

Um comentário:

  1. lindo poema, com tom de agouro... com tom negro.

    demais, garota.


    http://terza-rima.blogspot.com/

    ResponderExcluir