17 de ago de 2010

O Desafio das Cores

O Desafio das Cores 

             Entre os diversos mundos que existem no Universo da Fantasia, um era o mais assustador e temido por todos os seres: o Reino Umbroso. Neste mundo escuro vivia um rei muito poderoso, o Rei Medo. Um imperador tão antigo como o homem que vivia no mundo superior. O Rei sempre esteve presente na história da humanidade, seus impulsos guiavam a terra das sombras por caminhos inomináveis. As feras e monstros eram seus servos mais fiéis... O sonho da realeza era permanecer nos corações humanos ceifando qualquer esperança. Seus soldados possuíam poder imensurável, vampiros, lobisomens, homúnculos, grous, trolls, ogros, bruxas, entre outros, todos ousavam ir ao mundo superior a serviço do Rei. Mas nem sempre eram bem sucedidos.

             Pois havia no Reino Umbroso um povo de heróis, os Escritores Sombrios. De suas mentes e lápis escuros como a noite, surgiam lendas e histórias tenebrosas que eram lembradas por muitas eras na Terra dos Homens. Estas histórias assustavam. Mas quando o narrador dizia Fim, todos sabiam que o sol nasceria novamente. Todos podiam sentir que o universo era cheio de fantasia e sempre a luz surgiria. A eles, aos escritores, os Reis da Fantasia, no Equilíbrio de Todas as Coisas, delegaram a estas gentis criaturas o doce e doloroso ofício de dar vida ao medo, tecer as sombras para que todos pudessem saber que existiam e aprender a não se deixar dominar por elas. Pois o Rei Medo era poderoso, podia se infiltrar em corações desavisados e assim, criar mais soldados das sombras.



           Certa época, os escritores andavam tristes, a inspiração parecia ter ido embora, tudo se tornara tão comum e o Rei Medo continuava seus planos de dominação. Por estes dias melancólicos, os grandes Reis da Fantasia nomearam uma nova heroína para o reino. Lady Cell chegou e logo assumiu seu papel. Novas histórias continuavam nascendo todos os dias, mas a falta de inspiração prosseguia. O medo ameaçava....

            Uma noite de tempestade, quando raios assumiam formas tenebrosas, Lady Cell teve um sonho, uma inspiração. Nesta noite, um nobre cavaleiro dos sonhos falou com ela. No dia seguinte, a jovem reuniu os Escritores Sombrios. Um desafio estava lançado. Naquele dia, ninguém deveria contar sobre os seres noturnos, os seres nefastos, ninguém deveria escrever sobre os servos do Rei Medo. Naquele dia, todos deveriam escrever contos para o Mundo Fantástico de Cor, um mundo de contos infantis onde tudo fazia parte do Universo de Fantasia. Um murmúrio de espanto percorreu a platéia que se formara, Lady Cell sorriu e confirmou o inusitado.

             Foi um tempo de espanto, muitos daqueles escritores se perguntavam para que serviria tanta delicadeza e fantasia, afinal, os Escritores dos Sonhos Azuis escreviam sobre Mundo Fantástico de Cor há muitas e muitas eras. Entretanto, todos, um a um, resolveram aceitar o desafio e em cada manuscrito, a beleza e o sonho tomavam cores, a superação e a alegria formavam lindos painéis literários.

             Quando o dia findou, o Reino Umbroso permanecia escuro, mas no coração de cada um dos escritores sombrios, brilhava uma luz radiante, sim, era possível sonhar. Lembraram-se de que, na essência de cada um, existia a delicadeza de moldar o medo sem ser o medo. Foi um tempo de grande emoção e por muitos e muitos séculos, o Rei Medo seria sim lembrado, mas nunca reinaria definitivamente no coração dos homens, pois todos sentiam que um dia, as sombras e as cores se encontrariam no Mundo Fantástico ao qual pertenciam.
...εïз...
Para Celly Borges, uma amiga talentosa e muito querida, que sabe como ninguém descobrir o melhor em cada um. Obrigada por você existir.
...εïз...
Ah, creio que não se trate exatamente de um conto infantil, possivelmente algumas crianças corram apavoradas.
...εïз...
Prometo tentar algo mais colorido... um dia.
...εïз...

Nenhum comentário:

Postar um comentário