25 de jul de 2010

divagantes

as vezes tenho sim
essa estranha impressão que a literatura vai me libertar de mim

mas o que persiste mesmo é o medo do abismo
e do absurdo
dessa outra que na palavra talvez eu seja

então é como se essa dor e essa densidade que me estremece
fossem de repente se-me-revelar
e eu saberia de algum mistério
será?

acho que eu tenho mesmo medo é de existir

acho que eu tenho mesmo medo é de existir

acho que eu tenho mesmo medo é de existir 

2 comentários:

  1. Não rara vezes, T, eu também..eu também..Fremiu minh'alma inexistente!

    ResponderExcluir
  2. existir trás riscos. o medo de existir mais riscos ainda...

    http://terza-rima.blogspot.com/

    ResponderExcluir