2 de nov de 2010

Só espero - Por Angel Ruiz

Estou aqui, apenas esperando que tripudie, que pisoteie meu crânio e ria novamente.
Apenas esperando que sambe encima desse corpo morto
Que cuspa no caixão aberto
Que corte a carne ainda fresca da morte recente
Frite e coma esse coração magoado e amargurado pela perda e pela solidão.
Faça isso com todo o prazer... Com amor e ódio...
Em nome de todos os seus martírios
Arranca fora esses olhos que choram agora
Deixa as lágrimas se misturarem com o sangue a correr livres
Deixa-me chorar todas as dores e mágoas que tenho em mim
Quem sabe assim elas cessem.
Espero ainda que me deixe morrer aos poucos, cega para o mundo...

Vendo apenas a escuridão.
Envenenada pela verdade de que nada mais é meu.
Arranca fora cada pequeno pedaço de esperança que ainda há em mim.
Quem sabe assim eu comece a sentir de verdade
Quando simplesmente deixar de esperar sempre e tanto por uma migalha que nunca chegará.
Mas por enquanto espero...
Espero pela paixão que tua fúria tem pra mim.
A mesma paixão que me despedaça com um simples olhar, e a mesma fúria que me mata sem palavras.
Eu esperarei eternamente nessa busca incessante do dia em que você me libertará.
Pois só sua voz pode me calar
Só sua mão pode me matar
E só sua força pode me manter prisioneira ou me soltar, como preferir...
Por esse motivo eu te espero, e para sempre vou aguardar o momento certo
O momento de a você me entregar
E sendo assim, só o que me resta
É esperar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário